O prejuízo do H1N1 no orçamento das empresas.

H1N1 - Coname medicina ocupacional

O vírus da gripe H1N1 voltou com força total e, com ele, os impactos nos orçamentos de muitas empresas. Um funcionário doente traz altos custos para uma organização, por este motivo, é fundamental a adoção de medidas preventivas no ambiente de trabalho.

Tente imaginar o seguinte: quando uma pessoa infectada espirra ou tosse, o vírus H1N1 pode ficar por muito tempo instalado em superfícies lisas, como mesas, papéis, dinheiro ou em qualquer outra área em que haja umidade.

Já pensou se isso acontece em uma empresa de médio porte, por exemplo? O número de pessoas contaminadas pode crescer rapidamente, trazendo impactos no orçamento, na produtividade e no negócio como um todo.

O que os gastos de fato representam?

H1N1 e as empresas - Coname Medicina Ocupacional

Ter um funcionário doente significa ter gastos a mais. É claro que, em situações assim, os custos com planos de saúde, por exemplo, chegam a quase 20% a mais do orçamento inicial previsto por uma organização.

Entretanto, ter uma pessoa a menos no quadro de funcionários causa impacto direto em todos os níveis de produtividade e desempenho de uma organização. Além disso, contratar um profissional temporário, já havendo gastos com o adoentado, pode não ser uma opção viável.

Como as empresas podem se prevenir?

Entrar em contato com empresas especializadas para realizar a vacinação corporativa é a melhor forma de prevenir. Para não haver dúvidas de que todos os funcionários foram imunizados do vírus, a CONAME, através de um laboratório credenciado, realiza vacinação na própria empresa que contratar o serviço.

O prejuízo do H1N1 no orçamento das empresas.